Nightclubs

T-O 12 Nightclub, Stuttgart

Vendome Mayfair – London

 

China Doll Club – Beijing

 

Fonte: Paulo Oliveira

Published in: on dezembro 3, 2008 at 12:01 am  Deixe um comentário  

Cabeceiras Renovadas…

Criatividade tranformada em adesivos.

 

Published in: on dezembro 2, 2008 at 11:45 pm  Deixe um comentário  

Nove Coisas Pra Fazer na Faculdade

Criei esta lista com nove coisas que eu considero obrigatórias a se fazer enquanto você está cursando alguma faculdade. Fiz a princípio pensando no design, mas creio que vá valer para qualquer curso.

 

1. Cometa erros

“É errando que se aprende” É fato: seu professor está mais inclinado a perdoar seus erros do que seu chefe estará. Diz o ditado: “é errando que se aprende”. Erre durante o curso, pois o pior que pode acontecer é você reprovar na matéria. Na vida real, um deslize pode custar seu emprego.

2. Aprenda o padrão

 Muita gente entra na faculdade querendo já de cara criar coisas inovadoras. Porém todos os gênios da criação aprenderam antes a fazer o que todos fazem. Veja o caso de Jackson Pollock: ele aprendeu a pintar quadros “normais” antes de virar um porra-louca.

3. Converse com seus professores

Fui abençoado com uma turma pequena: os professores sabem o nome de todos e isso cria uma aproximação maior com eles. Mesmo se fosse o contrário, tente conversar com seus professores. Quase todos têm experiência profissional na área. E são nas conversas fora de sala (ou pós-aula) que se aprende mais do que é ensinado na grade curricular.

4. Corra atrás

A maioria das reclamações que eu ouço na faculdade é que o professor Xis não ensina nada. Vou bater uma real para você: o professor conhece a matéria de cabo-a-rabo, você não. Logo, é seu problema. Sim, o professor vai te mostrar a direção aproximada a tomar, mas cabe a você correr atrás. Você está na faculdade para aprender, e não ser ensinado. Ou como diria o Aguinelo, “aspira, essa pica agora é tua” (sim, eu sei que ele deve ter plagiado de algum lugar essa frase).

5. Faça amigos

Cada pessoa na sua sala é um concorrente em potencial se você quiser. Não queira. Torne-os parceiros, quem sabe até amigos. Amigos têm menos chance de dar uma de Brutus e te apunhalar pelas costas. Conheça novas pessoas. Conheça novaspessoas em outros cursos. Faça o “networking” – crie uma lista de pessoas que você conhece com uma descrição do que fazem. Um dia você vai precisar disto.

6. Desafie-se

Não tenha medo de pegar os projetos mais difíceis lançados pelos professores. Você está na faculdade para aprender e testar seus limites. É melhor saber hoje seus limites do que chegar um cliente amanhã com um trabalho para ontém e você só terminar daqui a duas semanas. Saiba até onde você pode ir sem entrar em colapso.

7. Vá em convenções, palestras, feiras, “wharever“

Estes eventos muitas vezes trazem novidades das quais nem seus professores estão á par. Nos dias de hoje, informação vale ouro e novidades valem o dobro. E falta de tempo não é desculpa: logo você estará trabalhando 10, 12, 15 horas por dia. Caso você já esteja fazendo isto, como que você planeja estudar? Vá nesses eventos, faça novos contatos, aprenda coisas novas.

8. Leia

Eu leio tudo que estiver ao meu alcance, e o que estiver mais longe também. Cheguei a alugar alguns livros diversas vezes repetidamente da biblioteca, só para ler novamente e ver se eu realmente entendia eles. E vale tudo: desde livros técnicos sobre o que você está estudando até fictícios (estes podem aumentar seu repertório). Não tem dinheiro para comprar um livro? Biblioteca! Não tem biblioteca? Baixe PDFs da web e leia sites pertinentes. Não tem internet? Então como você está lendo esse artigo? Tomara que não tenham me plagiado.

9. Divirta-se

“A vida é curta demais” Faça isto antes de entrar na faculdade, enquanto estiver lá e depois que sair. Afinal de contas, ninguém é de ferro. Vá para as baladas, bares, parques ou faça qualquer coisa que te faça feliz. A vida é curta demais para ser levada a sério, então aproveite ela hoje. Desligue o computador e vá dar uma volta.

Fonte: www.digitalpaperweb.com.br

Published in: on dezembro 2, 2008 at 11:39 pm  Deixe um comentário  

As belas formas, cores e texturas da cerâmica artesanal

Divulgação

As cores fortes remetem à essência pura do urucum, utilizado pelos índios para proteger a pele dos raios solares. Design de Carolina Haveroth
Divulgação

Em tons suaves, a perfeição das listras da linha Junco, de Carolina Haveroth e a linha Tambores, da Banana Collection
Desde a descoberta do fogo, a cerâmica acompanha o homem. No Brasil, a abundância de matéria-prima natural, aliada ao talento das mãos que moldam asmais diferentes formas orgânicas, faz com que a produção nacional – seja ela de pequeno ou grande porte – evolua rapidamente a ponto de possibilitar que os segmentos cerâmicos atinjam nível de qualidade mundial assegurada pela exportação.

Por mais que a produção em larga escala tenha aumentado, o trabalho manual ainda é elemento indispensável, o que concede o toque de exclusividade em cada peça criada. Na hora de ressaltar ambientes com sofisticação, vale brincar com as composições entre as formas, cores e texturas que a cerâmica permite.

Published in: on dezembro 2, 2008 at 11:19 pm  Deixe um comentário